domingo, 20 de março de 2016

Parcerias e Creepypasta dos Fãs abertas!

As parcerias e as Creepypastas dos Fãs estão abertas novamente para ser recebidas aqui!

Email: paulinhodantas4@gmail.com // Assunto: Creepypasta dos Fãs ou para parceria, escreva no assunto "Parceria".

Uma boa semana, e hoje tem Creepypasta!

segunda-feira, 14 de março de 2016

Eu voltar? Mas como assim?

Olá pessoas, eu sei que vocês já estão cansados de eu voltar, parar, mas antes de tudo, uma coisa me incentivou a voltar: meus amigos.
Então. Agora, pra não me perder, vou fazer um cronograma de postagens.

Segunda-feira tem post.
Quinta-feira tem post.
Sábado ou domingo tem post.

Para não perder a minha rotina, me siga no twitter!
@paulinhodantas4.

Forte abraços, galera!


terça-feira, 28 de abril de 2015

Para Onde as Crianças Más vão

Eu deveria ter uns seis ou sete anos, quando eu morava no Líbano. O país foi devastado pela guerra na época, e os assassinatos eram comuns e frequentes. Lembro-me durante uma era particularmente cruel, quando os bombardeios raramente cessavam, gostaria de ficar em casa sentado em frente a minha televisão assistindo a um show muito, muito estranho.

Era um show infantil que durava cerca de 30 minutos e continha imagens estranhas e sinistras. Até hoje eu acredito que o show era uma tentativa secreta dos meios de comunicação usarem táticas de intimidação para manter as crianças no lugar, porque a moral de cada episódio gira em torno de ideologias muito tensas: coisas como, "crianças más ficam até tarde", "crianças más ficam com as mãos debaixo das cobertas quando eles dormem", e "crianças más roubam comida da geladeira à noite."

Era muito estranho, e em árabe ainda para variar. Eu não entendia direito, mas a maior parte das imagens eram muito gráficas e aterrorizantes. A única coisa que eu gravei e não irei me esquecer, foi a cena final. Ela permaneceu quase a mesma coisa em todos os episódios. A câmera aumentava o zoom em uma velha e enferrujada porta fechada. Quanto mais próximo da porta, mais alto os gritos agonizantes se tornariam. Era extremamente assustador, especialmente para a programação infantil. Em seguida, um texto aparecia na tela em leitura árabe: "É para onde as crianças más vão." Eventualmente, a imagem e o som iriam desaparecendo aos poucos, e então seria o fim do episódio.

Cerca de 15 ou 16 anos depois eu me tornei um fotógrafo jornalístico. Esse show ficou marcado em minha mente por toda a minha vida, surgindo em meus pensamentos esporadicamente. Eventualmente, eu cansei disso, e decidi pesquisar sobre o programa. Eu finalmente consegui descobrir a localização do estúdio onde grande parte da programação desse canal tinha sido gravado. Após mais investigação e, eventualmente, viajar para o local, eu descobri que era agora desolada e tinha sido abandonada após a terrível guerra terminar.

Eu entrei no prédio com minha câmera. Ele estava queimado por dentro. Ou um incêndio eclodiu ou alguém queria incinerar todos os móveis de madeira. Depois de algumas horas cautelosamente fazendo meu caminho para o estúdio e tirando fotos, eu encontrei um quarto isolado e fora do caminho. Depois de ter que romper algumas fechaduras velhas e conseguir romper a porta muito pesada, eu permaneci parado e congelado na porta por alguns minutos. Vestígios de sangue, fezes e fragmentos de ossos minúsculos estavam espalhados pelo chão. Era uma sala pequena, e uma cena extremamente mórbida.

Mas o que realmente me chocou e me fez correr desesperadamente de lá foi avistar um microfone pendurado no teto, no meio da sala...

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Funnymouth

Venho informar para todos que eu, Rodrigo, estou de volta ao blog com tudo agora! Trago uma creepypasta que vai tirar o seu sono.

Funnymouth


* Funnymouth entrou em #ReferSales.
funnymouth: Olá a todos esta noite
funnymouth: Eu gosto de lmber sngue
funnymouth: de pessoa
funnymouth: eu enxrgo seu lindo rosto não fiq trste
funnymouth: vamos lá
funnymouth: :)
* Funnymouth saiu de #ReferSales.
GhostJeorge: ... Puta merda, que porra foi essa?
lemonlimeskull: Será que isso aconteceu?
GhostJeorge: Sim, Skull. Sim isso aconteceu.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A primeira coisa que eu devo dizer é que eu sou "lemonlimeskull". Em outras palavras, esse é o meu nome ali em cima.

Essa foi a primeira vez que eu vi ou ouvi falar de "funnymouth", e por tudo que aconteceu, deveria ter sido a última. Qualquer pessoa que tenha passado o tempo suficiente conversando sabe que pessoas esquisitas aparecem. Pessoas que aparecem fazendo perguntas ou simplesmente trollando um canal famoso.

O que pareceu estranho sobre o funnymouth foi o fato de que ele veio e se foi sem algum objetivo particular. Ele não tentou irritar nínguém, e ele não veio perguntar se alguém no canal sabia como consertar seu computador ou remover um vírus.

Ele simplesmente se intrometeu no meio.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

lemonlimeskull: Então, realmente, o que diabos foi isso?
GhostJorge: Não tnho idéia.
GhostJorge: * Não tenho idéia.
lemonlimeskull: Ele está em outro canal, se você quiser ir atrás.
lemonlimeskull: #bluud
GhostJorge: Eu não quero não, senhor.
lemonlimeskull: XD
lemonlimeskull: Filho da puta.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu não sei o que poderia acontecer se eu seguisse esse cara para o outro canal. Eu não sou do tipo que sai para irritar ou discutir com as pessoas. Eu normalmente tento evitar esse tipo de atitude a todo o custo, no entanto, uma vez que alguém começa a implicar comigo eu não me importo de chegar nesse ponto.

Eu acho que o que eu estou tentando dizer é que eu não tenho idéia do porque eu insistir nisso.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* lemonlimeskull entrou em #BLUUD
lemonlimeskull: Eae.

Ele estava lá, sozinho por conta própria.

funnymouth: O)_(O
lemonlimeskull: :)
lemonlimeskull: Então...
funnymouth: O)_(O
lemonlimeskull: Então... Você está me observando.
lemonlimeskull: Isso é rude.
funnymouth: descupa
funnymouth: eu apenas gust de faser iso
funnymouth: não tem problema
lemonlimeskull: Entendo.
funnymouth: O)_(O

Na verdade, eu dei uma gargalhada em voz alta neste momento. Ele era estranho e inofensivo.

lemonlimeskull: Você pode voltar para #ReferSales se quiser.
lemonlimeskull: Nós não iremos te kikar se é com isso que você está preocupado.
funnymouth: O)_(O
lemonlimeskull: Ou não.
lemonlimeskull: O que quer que seja, cara, você parecia muito interessante e estou entediado esta noite.
funnymouth: eu tabemm esto etediado
funnymouth: eu nuca
lemonlimeskull: ... Você nunca o quê?
funnymouth: eu nuca é iso
funnymouth: eu nuca prqe eles nuca e entaaaaaaaooooo
funnymouth: eu fico nvergonado
lemonlimeskull: O-kay. Bem, vejo você por aí.
funnymouth: O)_(O

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

E depois disso, eu saí. A conversa foi muito rápida, e eu pensei que ele era alguém tentando ser ou era um idiota que não sabia usar um programa de chat. Sentar em sua cadeira e procurar por outros chats de um em um segundo sem fazer nada parecia uma forma de se exibir para atenção. Talvez eu tenha feito isso nos anos 90, mas, eh... Estupidez.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

GhostJorge: Hmm?
lemonlimeskull: Nada. Eu seriamente não sei o que ele estava tentando dizer.
GhostJorge: Ha. Bem-vindo à internet.
lemonlimeskull: O que é triste é que, além de você e eu, esse cara é o único usuário ativo aqui a noite toda.
* Lemonlimeskull chuta Killjay e grita "ACORDA !!!"
lemonlimeskull: Blah.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O silêncio dominou o canal por cerca de meia hora, quando eu minimizei a janela e fui fazer os meus negócios.

lemonlimeskull: Alguém online?

Nenhum. Oito usuários no canal, nenhum está ativo.

lemonlimeskull: TÉDIO.
lemonlimeskull: Por que vocês são tão chatos?
funnymouth: O)_(O
lemonlimeskull: ACORDEM.
* Lemonlimeskull coloca a mão de todos em uma bacia de água quente.

Demorei alguns segundos para ver ele novamente. Funnymouth novamente, observando novamente. Eu não conseguia acreditar, dei um suspiro "essa merda de novo não."

Então eu percebi que ele não estava no canal.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

lemonlimeskull:?
lemonlimeskull: ...
lemonlimeskull: Alguém mais percebeu ele?
lemonlimeskull: Claro que não, porque você está inativo.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Obviamente, era apenas um glitch que ocorreu com o servidor. A mensagem foi pulada no início da noite, de forma aleatória. Essas coisas acontecem.

Do mesmo jeito, isso me arrepiou.

Depois de alguns minutos estando lá com a sensação de um frio, uma sensação macabra no meu estômago... Um sentimento de que "eu não deveria ter feito algo"... Eu decidi parar de enfrentar a isso, e fechei o programa do bate-papo.

Claro, eu PODERIA ter apenas ignorado tudo que aconteceu como se tudo estivesse bem, mas para que se preocupar em tentar provar que eu não estava assustado? Merda, ninguém ainda ao redor para falar comigo antes de eu sair.

Depois de mais algumas horas navegando na internet, fui dormir por volta das 2:40 da manhã.

Uma coisa que eu sempre me orgulhava era que eu nunca tive pesadelos. Pelo menos não regularmente. Geralmente, se há monstros ou fantasmas ou guerras nucleares no meu sonho, eu consigo controlá-los e então posso tirar satisfação de ter um grande momento. Estou atirando na cabeça de zombies, e ainda dizendo para os fantasmas que eles não são reais rindo da cara deles, e se há algum desastre, eu sempre sei como chegar ao local seguro.

O número de pesadelos que eu tive foram quatro pesadelos nos últimos dez anos, e sim, eu estou completamente sério.

O primeiro pesadelo da minha vida adulta foi em 2005. Eu tinha acabado de romper um relacionamento com alguém que estava com outra pessoa por mais de um ano pelas minhas costas. Naquela noite, quando eu finalmente consegui dormir, eu sonhei que estava amarrado a uma maca médica, enquanto algum tipo de criatura invisível inexplicável arrancou meu cérebro através de uma máquina orgânica.

O cérebro gritava sem cansar.

O segunda pesadelo era comigo visitando um centro médico onde eles estavam experimentando novos métodos de salvar vidas. Era um passeio fantástico nesta facilidade de alta tecnologia, a abundância de maravilhas da ciência moderna, as pessoas de jaleco, etc. Então, eu estava indo para uma sala onde três vítimas de um acidente de carro tinham sido "salvas" por suas técnicas. Isto incluía uma jovem cujo rosto tinha sido completamente distendido e deslocado em torno de seu peito, e uma mulher que não passava de um aglomerado de carne com membros, todos unidos por um longo tecido de carne.

O terceiro veio logo após a segunda. Eu estava sendo abordado por duas pessoas - um que queria me insultar sem parar, e outro que tentava me beliscar de maneira absurdamente ineficaz. Pensando que eu podia controlar esse sonho como os outros, eu defini os dois homens para brigarem um contra o outro, pensando que seria uma espécie de justiça poética.

Em vez disso, eles se tornaram cada vez mais violentos, até que um estava soqueando o rosto do outro, agarrando sua língua com um punho e furiosamente puxando-a até que ela saiu ... Então ele puxou as pálpebras do outro até que distendeu em algum tipo de prolapso grotesco.

Acho que o que estou querendo dizer é que, mesmo quando eu tive pesadelos, eu nunca fui o alvo real de qualquer tipo de horror. Ela sempre foi uma espécie de horror empático e brutal para os outros.

Esta noite, porém, era diferente. Assim que eu adormeci, eu comecei a sonhar. Basicamente, era um sonho recorrente onde eu estava na floresta, apenas observando animais e pássaros e frio e agindo de forma fria. Eu deitei na grama e observei o céu. Todo os sonhos eu saúdo, porque mesmo tendo um dia de merda, eu vou acordar feliz e pronto para começar de novo.

Desta vez, o roteiro mudou. Deitei na grama... Mas enquanto eu estava olhando para o céu, eu senti algo estranho.

Era uma sensação de algo melado e frio no meu pescoço.

No sonho, eu toquei em meu pescoço e tirei uma longa minhoca que contorcia. Minhocas me davam nojo. Se eu vejo uma no quintal, eu pego uma pá e bastante terra e ponho sobre ela simplesmente para que eu não possa vê-la novamente.

Com nojo, mas mais ou menos contente, eu tirei a minhoca de meu pescoço e continuei o meu sonho.

Então... Essa sensação novamente. Algo molhado e viscoso contorcendo-se em meu pescoço.

Tirei outra minhoca.

Novamente.

Na terceira vez, o sentimento de confusão e medo ficaram tão fortes que eu imediatamente acordei. Isso é o que geralmente acontece quando a merda pega em meus sonhos. Game Over.

Mas eu percebi uma coisa quando acordei. Toquei em meu pescoço e senti uma gosma viscosa na minha pele. Eu pensei que poderia ser eu babando durante o sono. Nada do que se orgulhar, mas não é exatamente aterrorizante. Minha mente durante o sonho deve ter traduzido o sentimento nojento de saliva em uma criatura aterrorizante na floresta.

Talvez o mais preocupante foi o fato de que ao redor da cama parecia ter marcas. Quatro marcas, para ser exato. Era como se alguém ajoelhado estivesse ali enquanto eu dormia.

Havia uma série de razões do que poderia ter acontecido... Mas a partir daquela noite, eu demorei muito para dormir. Qualquer coisinha, como o som de um ventilador de teto, me acordava imediatamente. Eu não tinha interesse em voltar para a floresta daquela noite novamente.

Quando amanheceu, eu estava pronto para sair de casa. Antes eu apenas fui verificar meu e-mail para me certificar de que não tem quaisquer transações pendentes ou perguntas que eu tinha de responder.

Surpresa!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 novembro, 2012, 02:42
Para: Charles Watts <chwatts@refersales.com>

eu tinha um bom momento para falar com você que pode seeeer divertido anovamente você vai ver o que

eu nao gosto diso para

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Como você provavelmente se lembra, eu não havia dado meu endereço de e-mail para ele. No entanto, a resposta lógica seria que, alguém no canal deve ter passado o e-mail. Ele, obviamente, voltou a #ReferSales, perguntou para alguém quem eu era, e esse babaca me traiu completamente, sabendo que eu não dou a minha informação de contato pessoal.

Porém...

O e-mail datava 2:40. Isso foi no momento que eu fui para a cama... Quando todos no canal ainda não estavam presentes.

Mesmo que eu soubesse que eu estava sendo algum tipo de isca, eu respondi.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De: Charles Watts <chwatts@refersales.com> Sábado, 17 novembro, 2012, 09:29
Para: funnymouth@bluud.com

Uhhhm, sim parça. Não queria exatamente que você me mandasse e-mails.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu fui claro e direto ao assunto. Não havia dúvida na mensagem que eu estava enviando, e apesar de ter sido meio rude, eu não estava incitando ele para responder ao pedido e iniciar uma guerra.

Mas, é claro...

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 novembro, 2012, 09:30
Para: Charles Watts <chwatts@refersales.com>

porfavr
nem fiqe tão triste com esso

eu sei que vose pode gostar diso nos vimos se divertir muito do tempo

está tudo bem mesmo

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

E com isso, eu bloqueei o endereço dele. Realmente, eu deveria ter feito isso antes, mas eu ainda tinha algum tipo de interesse em ver onde exatamente iriamos chegar. Talvez se eu colocasse meu pé no chão, ele iria admitir que ele estava apenas sendo um idiota e me chamaria de um cobertor molhado sem humor (a tradução quis que fosse assim kkkkkkk).

Por valer a pena, você pode relaxar neste momento. O bloqueio prende ele. Não havia nenhuma mensagem dele após o bloqueio.

Depois de alguns minutos, eu fui me certificar de que estava tudo bem e iria continuar meu dia. Quando cheguei ao entardecer em casa havia alguma coisa errada, eu senti uma sensação horrível e congelante em meu estômago... E eu não faço idéia do porquê.

Bem, isso não é bem verdade, eu tenho IDÉIA da causa.

Eu fui ver o meu e-mail.

Nada do "funnymouth", mas havia um e-mail do Jorge.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De: Jorge G <ghostjorge@refersales.com> Sábado, 17 de novembro de 2012, 14:03
Para: Charles Watts <chwatts@refersales.com>

Hey,

Refersales.com está fodido. Não consigo fazer nada para carregar. Quando você estiver on-line, por favor dê uma olhada, ASAP (Assim que possível).

Fique na paz,
Jorge

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Aconteceu uma série de maldições. Tempo perdido significou perda de vendas, e eu tinha saído para passear durante todo o dia sem nenhum jeito do Jorge poder ter contato comigo. Se eu tivesse sido um pouco menos rigoroso com as minhas informações pessoais, ele poderia ter me chamado.

BluudCarreguei o site e esperei por algum tipo de tela de erro.

Em vez disso, ele começou a redirecionar para outra página.

Bluud.com



------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De: Charles Watts <chwatts@refersales.com> Sábado, 17 de novembro de 2012, 18:15
Para: Jorge G <ghostjorge@refersales.com>

Sim, eu acabei de ver isso. Ele está redirecionando para um site com uma cara pixelizada gigante com uma língua estranho.

Eu acho que isso tem a ver com o funnymouth. Você deu a ele o meu e-mail? Com o domínio nele?

De: Jorge G <ghostjorge@refersales.com> Sábado, 17 de novembro de 2012, 18:23
Para: Charles Watts <chwatts@refersales.com>

É uma página 404, não um redirecionamento. O que você está fumando?. Tudo que eu vejo em Bluud.com é um aviso "em breve".

Jeorge.

De: Charles Watts <chwatts@refersales.com> Sábado, 17 de novembro de 2012, 06:25
Para: Jorge G <ghostjorge@refersales.com>

Har har har. Muito engraçado.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Então Jorge me mandou um e-mail com uma screenshot do erro 404... Juntamente com um aviso dizendo "em breve" para Bluud.com

Ele poderia ter facilmente falsificado... Mas por quê? Quero dizer, se isso era algum tipo de brincadeira, eu não entendi por ser muito abstrato.

Quando eu vi os meus arquivos do site, tudo estava normal. Nada estava fora do lugar, e ninguém tinha sequer logado para mudar nada. Eu verifiquei nameservers do nome de domínio... O que faz rotas para um domínio... E nada estava fora de ordem.

Do mesmo jeito... Havia aquela face com uma língua estranha pendurada olhando para mim com seus olhos vazios de alma.

Então... Eu não sei como eu não me toquei nisso em primeiro lugar.

Olhando de perto, a imagem do rosto não estava realmente pixelizada. Ele era feito de letras minúsculas, um código HTML colorindo cada letra específica fazendo então a imagem.

Uma aqui e uma ali, a palavra que faz a imagem estava bem na minha frente. "funnymouthfunnymouthfunnymouthfunnymouth" em um grande conjunto de disparates.

Eu me senti como se fosse vomitar na tela.

Eu desbloqueei o e-mail dele e então comecei a escrever ameaças para ele. Eu não me importo mais realmente se eu vou ter o site de volta, eu só queria tirar o peso do meu ombro para que eu pudesse me sentir como se eu estivesse no controle da situação novamente.

Antes de eu conseguir terminar a mensagem... Eu senti aquela sensação estranha e arrepiante novamente. Aquela sensação "Não, não pode ser" em que você acha que é tudo um absurdo, mas ao mesmo tempo você sabe que está certo...

Eu fui dar uma olhada em meu inbox...

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:00
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

ew vejo seu lndo rosto

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:00
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

ola colega

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:01
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

vams la

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:01
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

oie

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:01
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

oe oie oie

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:01
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

eum nau kero para nao

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:01
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

eu nau xei sobre iso porfavor

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:01
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

eu vej seu rostu lindaum

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Não era apenas as minhas sensações que estavam corretas, a sensação que eu tinha de que ele me mandou e-mails diretamente após desbloquear ele, mas na verdade parecia que ele estava me mandando e-mails desde que eu BLOQUEEI ele.

Então mais dez mensagens chegaram durante o tempo em que eu estava escrevendo...

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De: Charles Watts <watts@refersales.com> Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:00
Para: funnymouth@bluud.com

PARA PORRA!!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu estava pegando uma dor de cabeça de tanto estresse. Meu coração estava acelerado, não de medo - mas de raiva. Funnymouth talvez seja a pessoa mais irritante em toda internet - e isso é dizer muito.

Felizmente, a sequência de letras, de fato, parou.

Eu tentei me acalmar, respirar fundo, mas não parecia adiantar. Eu ainda estava puto da cara. Metodicamente, eu enviei para ele outra mensagem cheia de amor.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

De: Charles Watts <watts@refersales.com> Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:21
Para: funnymouth@bluud.com

Oi.

Eu não estou entendendo o que você quer dizer. Eu acho que temos uma barreira linguística entre nós. A sua língua primária é inglês?

Eu acho que você fez algo em meu site, e eu gostaria que você o desfizesse.

Se você está com raiva de mim, não foi minha intenção primária provocar tamanha raiva. Talvez você tenha desentendido o que eu disse, ou o que eu quis dizer.

Por favor, restaure meu site para a forma normal e vamos seguir nossos caminhos sozinhos.

Obrigado.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu esperei.

Eu tentei pensar em como eu iria controlar minha raiva, e eu acho que a melhor maneira foi descarregando toda a raiva na mensagem mesmo. Este cara concerteza entendeu o que eu disse. Ele deve ter percebido o erro que cometeu.

Eu me acalmei. Tudo iria ficar bem.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Até que...

De: funnymouth@bluud.com Sábado, 17 de novembro de 2012, 19:23
Para: Charles Watts <watts@refersales.com>

O)_(O

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu pulei da cadeira.

Eu pulei da cadeira e atravessei todos os limites do céu e além. (ou infinito e além!)

Eu quebrei o monitor com minha palma e derrubei ele da mesa. Isso me irritou ainda mais, enquanto eu dei socos e murros em meu teclado até que as teclas voassem pelos ares. Eu gritei com uma mistura de frustração comigo mesmo e raiva da situação, saí pela minha casa destruindo tudo.

Quebrei tudo o quanto eu podia de acordo com minha energia, devastando minha própria merda. Eu poderia queimar a casa inteira se eu estivesse com um isqueiro.

Naquela noite, eu encarei o teto para o que me parecia uma eternidade até cair no sono.

Aguardando o sono, eu sabia que eu estava andando de cara para um pesadelo. Eu apenas sabia disso. Assim era como a minha sorte estava indo. Imagine o quão surpreso eu estava, até no sono, ao invés de algum lugar horrível, eu estava completamente seguro...

A floresta.

Eu deitei sobre a grama novamente. Eu senti o relaxamento. Eu sabia, até o meu subconsciente sabia, que tudo ficaria bem. Não importava o quão pesado seria o que o mundo jogaria contra mim, o mundo apenas iria fracassar. Nada era permanente. Tudo estava em transição. Ninguém conseguia me pegar.

Eu senti um rastejo sobre meu pescoço novamente.

Não. Nada poderia estragar isso agora. Eu ignorei a minhoca. Ela iria embora.

Eu senti o rastejo se dirigindo até minha boca. Agora, eu não podia mais acordar. Eu sempre conseguia acordar nas outras vezes... Mas parece que isso era algo do passado agora.

Então, aquilo não era uma minhoca. Era um dedo. Então outro. Então outro até quatro rastejantes viscosos dedos estavam se agarrando em minha dentina, agarrando meu maxilar inferior.

Não doeu quando aconteceu.

Foi mais pressão do que dor.

Foi rápido e antes de eu mesmo saber, acabou.

Eu então consegui acordar. Sentei-me e fiquei de pé na escuridão completa. Sentindo o meu caminho apenas pelas paredes, eu andei até o banheiro. Aqui, eu finalmente achei um recurso de luz.

Eu estava diante do espelho, esfregando os olhos e tentando me adaptar ao ambiente.

Eu fiquei parado diante do espelho sem fazer nada. Sem sentimentos. Sem pensamentos.

Então eu sorri.

Eu sorri o máximo que eu podia, agora que meu maxilar estava quebrado, solto e pendurado perto do meu pescoço. Minha língua pendeu para fora, como uma lesma paralítica e gosmenta.

Meus dentes estavam aos pedaços, e eu poderia remover cada um simplesmente com a mão e com a mesma dor de uma agulhada.

Eu dei uma gargalhada, o som do deslocamento dos dentes parecia de uma goteira do esgoto.

Que rosto bonito!

Mas que boca engraçada!

Uma funnymouth!

Uma funnymouth funnymouth funnymouth!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* lemonlimeskull entrou em #ReferSales.
lemonlimeskull: Eu vejo seu rosto bonito.
lemonlimeskull: Não fique tão triste com isso!
lemonlimeskull: :)
GhostJeorge: Hey, aonde diabos você esteve?
GhostJeorge: olá? Charles?
GhostJeorge: ...
lemonlimeskull: O)_(O
* lemonlimeskull saiu de #ReferSales.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Créditos para Slimebeast.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Lendas Urbanas #1 - Mulher De Branco





Essa é a série que o nosso parceiro está apresentando no canal dele, e eu estarei divulgando aqui!

Postaremos vídeos da série assim que possível.

Keep Creeping!

Sigam-me no twitter: @paulinhodantas4

Até!

terça-feira, 7 de abril de 2015

Jigokutshushin.de

Jigoku tsushin-1-.pngDiz a lenda que existe na internet um site que permite as pessoas colocarem o nome de quem querem se vingar, só que o tributo para que isso aconteça é, oferecer sua alma, ou seja, quando você morrer, irá para o inferno, igualmente a pessoa a qual será amaldiçoada com sua vingança.

No momento em que você coloca o nome da pessoa no site e aperta o botão, surge na tela a Jigoku Tsushin (em português, garota do inferno) e te entrega um boneco com uma fita vermelha. A partir deste momento você tem que escolher se tira ou não a fita, pois no segundo em que tira-la  a maldição estará solta e a pessoa que teve seu nome escrito no site terá sua alma levada para o inferno, do mesmo modo do que você. Mas não é tão fácil assim, pois o site só abre uma vez por dia, exatamente a meia noite, aqui o link: Jigokutshushin.de

~~~~~~~~~~~~~
Caso você queira fazer mesmo, o Creepypasta Puro não se responsabiliza por você visitar o inferno (:
[PS: Caso não queira visitar o site a MEIA-NOITE, ajuste seu relógio para MEIA-NOITE]

Keep Creeping!
@paulinhodantas4

quarta-feira, 18 de março de 2015

Creepypasta dos Fãs: Artemiel

Olá, meu nome é Artemiel, Arte... MIEL! O que venho contar-lhes não é real... Digo, eu já não sei o que é, e não é REAL! Não sei quem sou e nem se meu verdadeiro nome é, de fato, Artemiel, mas sei que é do que me lembro. Lembro-me de ter acordado no que acreditava ser o meu quarto, cheio de pôsteres de arcanjos e símbolos. Havia lá, também, um grande armário branco, tudo era branco. Estava confuso, não lembrava de nada, apenas do nome que ecoava em minha mente, incessante: Artemiel, Artemiel, ARTEMIEL!
- O que diabos é Artemiel? Perguntei.
Olhei mais para o quarto, na parede, havia um calendário, era uma quarta-feira, dia 22 de março, do ano de 2006. Havia também um relógio em meu pulso, marcando as 7:00 da manhã. Passei, então, a reparar no quarto, no intuito de lembrar-me de algo, mas não consegui nada. Passei cerca de uma hora olhando os pôsteres, lendo algumas passagens dos livros, nada me era esclarecedor. Reparei mais um pouco, embaixo da cama, de trás da porta, no armário, não tinha nada. Decidi sair do quarto, eu estava numa casa de 2 andares, havia outro quarto do meu lado. Reparando do lado de fora, a casa aparentava estar vazia, além disso, setas, em cor vermelha, me indicavam um certo caminho a percorrer. Seguindo as setas, desci as  escadas, chegando ao que aparentava ser a sala. Nela, havia um sofá grande, duas poltronas, uma Tevê, uma estante e um grande espelho. Como já havia dito, eu não lembrava de nada, além de, é claro, o nome: Artemiel. Fui de frente ao grande espelho, vi meu rosto, pois não lembrava dele também. Tenho cabelos negros, curtos, cerca de 1,70 a 1,80 de altura, olhos castanhos, cor parda. Não me admirei e nem me espantei. Era como se eu descobrisse algo novo.
- O que há de ter acontecido comigo? -Penso.
No chão da sala, havia mais setas vermelhas, a cozinha ficava do lado da sala e o banheiro no meio, entre os 2 cômodos. Não havia setas lá, indaguei-me: Por quê? Para sanar minhas dúvidas, fui verificar os cômodos, não havia nada demais também. Na cozinha havia alguns eletrodomésticos, mesa, cadeiras, um abajur. No banheiro, uma banheira, um vaso sanitário, um espelho e uma pia. Nenhuma seta. Voltei para a sala, abri a porta da casa e sai na rua. Na porta da casa, havia mais setas vermelhas, num caminho feito de pequenas pedras, também havia uma garagem na casa. Não fui lá. Havia uma casa frente a minha, a casa onde acordei era branca, a que estava frente ela, era negra. Frente a essa casa negra, também havia setas vermelhas. Caminhei até o meio da rua, quando um garoto também sai da casa negra. Fiquei apreensivo, mas também relaxado, finalmente encontrei alguém, ele poderá me dizer quem sou. Ele se aproxima, quando digo-lhe:
- Olá! Poderia me ajudar? Isso pode parecer estranho, mas é... Bem, eu não lembro de nada, não sei quem sou!
Ele me olha, dos pés a cabeça, e diz:
- Estás brincando comigo? –Perguntou.
Respondo-lhe:
- De forma alguma, não lembro de nada! Única coisa que me lembro é de um nome: Artemiel!
- Só pode estar de brincadeira –Ele diz.
- Por que estaria? -Digo.
- Porque é igual comigo, não lembro de nada, a não ser desse maldito nome! -Diz ele.
- Como pode? –Pergunto-lhe.
- Não sei! –Diz-me ele.
Pergunto-lhe o que há na casa, ele me diz que não há nada: Disse-me que acordou as 7:00 da manhã e que não há nada de esclarecedor em seu quarto. Além disso, disse-me que há  setas vermelhas na saída do seu quarto, que vão até a sala da casa, há outro quarto do lado do seu e também não há nada na cozinha e no banheiro. Isso me assustou, assustou muito. Perguntei também se ele havia visto algo mais, ele me diz que nada, a não ser uma chave no bolso de sua calça.
- Bolso? –Pergunto.
- Sim! -Responde ele.
Achei estranho! Verifico meus bolsos... ENCONTRO UMA CHAVE!
- Você tentou, é... abrir algo com a chave? –Pergunto.
- Não! –Diz ele.
Há três fatos incomuns que não lhes contei: Minha vestimenta era completamente negra, enquanto toda a casa em que acordei, era de cor branca. O rapaz que encontrei, a minha frente, tem uma vestimenta completamente branca, como a cor da casa em que acordei. Lembra do quarto ao lado do que acordei? Eu tentei abri-lo, mas ele estava trancado. Lembra das setas? Elas não seguiam para fora da casa, e sim, para dentro dela, mais precisamente para dentro do quarto trancado.
Decidimos, então, entrar cada um em uma casa, eu na negra, ele na branca. Não perdi tempo, peguei a chave, subi as escadas, vi as setas, cheguei  frente ao quarto, pus a chave na tranca, abri a porta... O que vi foi aterrorizante, doentio, discrepante... Havia pedaços de membros de corpos, nas paredes, escritos com sangue, estava escrito o nome: ARTE! Alguns membros também foram alinhados para formar esse nome. Não consegui permanecer muito tempo ali, antes de sair da casa, verifiquei o quarto em que o rapaz diz ter acordado. Realmente não havia NADA, a única coisa que me surpreendeu foi a abundância de pôsteres de artes e quadros de artistas. No mesmo instante que sai da casa negra, o rapaz sai também da casa branca. Eu não sei explicar bem esse momento, é como se nós dois soubéssemos de algo, mas não temos coragem e nem confiança o suficiente para contar ao outro. Automaticamente, ambos começamos a ir para o último lugar ainda não visto: A garagem. Nos olhamos uma última vez, demos as costas, abrimos as garagens... Quando entrei, a porta da garagem logo fechou-se, sozinha, isso não me impactou em nada, pois eu estava perplexo com o que havia a minha frente: Um quadro enorme, uma mesa com velas e uma faca nela. ARTEMIEL! Finalmente entendi... No quadro, havia um anjo e um demônio. O anjo representava a imponência e força de Deus, esse se encontrava em pé, no qual a sua mão direita empunhava uma espada longa, que perfurava o coração do demônio. Deitado, encontrava-se o demônio, representando a avareza e mentira de Satanás, na mão direita empunhava uma espada negra, tal qual se encontrava no coração do anjo. Ambos, anjo e demônio, estavam chorando. Abaixo do quadro, existia um texto: Artemiel, melhor: Arte e Miel! Quando encontrados em solo sagrado, forjando espadas e cantando lírios ao senhor, eram abundantes em sabedoria e alegria, como pôde, Miel, filho de Deus, teres caído para as depravações da serpente? Eis que quando ao lado do Senhor, não havia dúvidas em seu coração? Quando ao lado de seu irmão, Arte, eras feliz? Pois agora, que abandonastes teu pai, sofrerá pelas mãos de seu carrasco, seu próprio irmão... Arte!
A faca que vi inicialmente, na mesa, na verdade, era uma espada. A espada negra do demônio Miel. Após ver o quadro e ler o texto, eu fui capaz de lembrar do que aconteceu...
Meu nome é Lennon, eu tenho 18 anos, o rapaz de branco é meu vizinho e melhor amigo. Na terça feira, quando voltávamos da escola, nós paramos em uma mesquita recém aberta, na volta do trajeto para nossas casas. Lá, nós falamos com o atendente: Um homem alto, careca, barbudo e de vestimentas negras. A principio, o achei estranho, mas nada de muito alarmante. Digo, essa era a imagem que eu tinha desse tipo de pessoa. Nós não compraríamos nada, só iriamos olhar mesmo. Quero dizer, eu não o tipo de pessoa religiosa, etc. Na verdade, eu era só um otário, zombava de tudo e de qualquer coisa. Isaac, meu amigo, o garoto de branco, ele era um tanto mais ‘’conservador’’. O atendente apareceu interessado demais em nós, mesmo eu tendo dito que só queríamos dar uma olhada.
- Vão querer comprar alguma coisa? Disse o atendente.
- Não! Disse eu.
- Viemos apenas dar uma olhada! –Disse Isaac.
Mas o sujeito insistiu...
- Por favor, como cortesia, por serem os primeiros clientes a virem aqui, permita-me dar-lhes um presente em nome da loja. –Disse o atendente.
- Não precisa! –Dissemos.
- Eu insisto! –Disse ele.
Maldito! Se eu soubesse... Se eu, ao menos, tivesse alguma ideia... Ele nos deu esse maldito quadro... Mas deu a mim apenas a parte do demônio, certamente deu ao Isaac a parte do anjo. Deve saber que sou um vagabundo incrédulo e que o Isaac é um certinho religioso. MALDITO! Eu não lembro de mais nada após receber a metade do quadro, minhas memórias estão confusas. Lembro de ter saído da mesquita, voltado pra casa e de ter dado adeus para o Isaac nas portas de nossas casas... Após isso, eu fui POSSUÍDO! Não só eu, o Isaac também foi!
Lembra da casa branca? Aquela não é minha casa, é do Isaac! EU ASSASINEI A FAMILIA DO ISAAC E PINTEI A CASA DELE DE BRANCO! Digo, eu não, mas o demônio que me possuiu, Miel, fez isso. Ele matou a família do Isaac porque isso representa o que é importante para ele, Isaac e Arte, seu irmão! A benevolência religiosa da família de Isaac seria a representação de Deus em sua vida, o que Miel mais odeia, por ter sido banido do céu e ter sido executado pelo próprio irmão, a mando de Deus. Mas mesmo assim, por ter pintado a casa de branco, isso também representa que ainda ama seu irmão, Arte, embora tenham tomado direções diferentes. O que aconteceu com o Isaac foi o mesmo que aconteceu comigo, Arte assassinou minha família incrédula e mundana, como também pintou a casa de negro em homenagem ao irmão, Miel. As setas representam os caminhos dos carrascos, os sangues dos irmãos, suas escolhas... As vestimentas representam as personalidades... AQUELE MALDITO DA MESQUITA, ELE ERA O DEMÔNIO! Ele sabia, nos conhecia, e nos amaldiçoou com essa maldita rixa de anjos e demônios. Ele está do meu lado agora... Está dizendo: Pegue a espada; ainda não acabou!
Eu pego a espada, saiu da garagem e encontro Isaac do lado de fora, com uma espada na mão... Nesse momento, eu entendo o choro de Miel...

Creepypasta enviada por: UraharaKi.
Sigam-me no twitter: @paulinhodantas4